Já falamos sobre os hospitais sustentáveis, cujas unidades se consistem em projetos que não agridem o meio ambiente. Seus colaboradores também praticam atividades voltadas à sustentabilidade. Mas você sabe o que é um Hospital Inteligente?

Pois bem, é um conceito desenvolvido por norte-americanos para denominar instituições que são integralmente digitalizadas. Promete ser o futuro de todas as empresas que buscam eficácia e eficiência na prestação de serviços.

Deixar a papelada de lado talvez seja uma das tarefas mais difíceis, entretanto é o primeiro passo para que os colaboradores comecem a se adaptar com os aparatos tecnológicos. Em uma instituição de saúde não basta apenas computadorizar dados e prontuários dos pacientes. Mas é preciso integrá-los a outros setores convergentes, tais como farmácia, centro cirúrgico departamentos de exames, entre outros. Para o presidente da Sociedade Brasileira de Informática, Cláudo Alves, para que a digitalização dos documentos seja eficiente o bastante será preciso exterminar de vez a utilização de papel.

Somente dessa maneira os funcionários conseguirão ter mais eficiência e produtividade em seus afazeres. Além disso, o corpo diretor sentirá uma redução significativa dos custos mensais. Poderá dar mais atenção ao paciente e melhorar diversos indicadores importantes para a avaliação do hospital.

Como ser uma instituição inteligente?

Essa é uma das primeiras perguntas que você deve se fazer, mas calma! Tudo tem seu tempo e é preciso montar uma estratégia antes de qualquer coisa.

O primeiro passo é estabelecer um planejamento. O investimento para computadores mais modernos é relativamente alto, e você precisa ter certeza que está disposto a arcar com esses custos no início. Tento o planejamento em mãos, fica bem mais fácil de coordenar os processos administrativos

O segundo passo é organizar esses procedimentos. Neste sentido você começará a arquitetar quais serão os primeiros departamentos a serem digitalizados.

Posteriormente, você deverá pensar na padronização dos cadastros dos pacientes. Isso deverá ser feito aos poucos para que nenhuma informação seja trocada nas fichas, ou mesmo esquecida. É preciso tomar muito cuidado.

Outro ponto importantíssimo a ser levado em consideração é a capacidade de infraestrutura e sistemas eficazes. Com essa computadorização de diversos segmentos como a saúde carregam alguns desafios um tanto quanto complexos: O alto custo de investimento no que se diz respeito a sistemas ultramodernos.

Provavelmente você enfrentará problemas com interfaces ruins, mudanças nos hábitos dos profissionais, obstáculos em relação à segurança, privacidade e confidencialidade, entre outros.

Falta de conhecimento e de habilidade também é outra questão que pode atrapalhar o processo de digitalização.

Como reverter a situação?

Sabemos que a tecnologia tem evoluído muito, e de maneira repentina. Por esse motivo as pessoas sentem a necessidade de se adequar às novas soluções propostas por esta era digital .

Infelizmente, o Brasil ainda está longe de ser um exemplo de modernização, quando comparado com países extremamente desenvolvidos, como o Japão. Mas tudo isso é questão de tempo.

Muitos aspectos mudaram de algumas décadas pra cá. Uma das novidades que prometem ajudar os hospitais inteligentes é a nova tecnologia chamada internet nas coisas, já ouviu falar?

Hospital inteligente: Internet das coisas

Com essa nova tecnologia é possível conectar aparelhos simples tais como cafeteiras, dispositivos de acompanhamento médicos, entre outros. Com ela é possível potencializar a prevenção de doenças por exemplo, visto que os diagnósticos tornam-se cada vez mais precisos.

Dessa forma, ano após ano, os pacientes passam a ter melhor qualidade de vida, com menos incidência de doenças e mais tempo para praticarem outras atividades.

Pessoas que sofrem com o mal de Parkson, por exemplo, podem se beneficiar de uma intrgração de sensores com celulares. Esses sensores são capazes de rastrear o tremor das mãos de uma pessoa e assim identificar a evolução da doença na pessoa. Assim ela terá muito mais segurança e qualidade de vida ao fazer atividades que podem impactar sua rotina.

Os planos de saúde também são digitalizados. Graças ao rastreamento é possível fazer com que os setores das empesas otimizem planos de seus pacientes pelos perfis com seus dados pessoais, peso, pressão arterial e até o nível de estresse diário. Muito bacana, não é mesmo? O hospital inteligente traz muita facilidade, sim!

 

Você sabia que o nosso Sistema de Saúde é um dos mais elaborados do mundo? Entenda alguns princípios e o funcionamento do sistema único de saúde (SUS) nesse artigo.

O Sistema Único de Saúde conhecido como SUS é o sistema de saúde público do Brasil, criado em 1988, e regulamentado pela lei de número 8.080/90, essa lei define o SUS como um conjunto de ações e serviços de saúde, que são prestados por órgãos nas esferas públicas federais, estaduais e municipais, além da administração direta e indireta e das fundações mantidas pelo poder público.

Qualquer cidadão brasileiro pode usufruir do SUS desde o dia do seu nascimento. O programa é sustentado através da arrecadação de impostos pagos pela população. Ou seja, o serviço é algo que a própria população paga. O atendimento deve ser igual a todos, sem qualquer tipo de distinção.

O cartão do SUS é o documento que garante um acesso mais fácil ao paciente, além disso o cartão guarda dados importantes sobre data e local de outros atendimentos já realizados, guarda também dados sobre doenças e medicamentos utilizados pelo paciente, facilitando assim a comunicação entre os diferentes locais de saúde.

O cartão SUS é feito de forma gratuita, com a apresentação do RG, do CPF, da certidão de nascimento ou de casamento.

Princípios do SUS

Universalização: O SUS entende que a saúde é um direito de todos, e cabe ao Estado assegurar esse direito ao cidadão. Esse direito tem que ser garantido independente de sexo, raça, ocupação ou outras características sócias ou pessoas;

Equidade: O SUS traz esse princípio com o intuito de diminuir desigualdades, apesar de todas as pessoas terem direito ao serviço de saúde, o SUS entende que as pessoas não são iguais entre sim, e por isso, vão ter necessidades diferentes, assim o princípio de equidade trouxe a questão de investir mais onde a carência é maior;

Integralidade: Esse princípio considera a pessoa como um todo, assim atendendo as necessidades com ações integradas de saúde, ou seja, trabalhando na promoção, na prevenção e no tratamento das doenças. Esse princípio visa principalmente que diversas áreas articulem com a saúde com intuito de melhorar a vida do indivíduo.

Princípios Organizativos do SUS

Regionalização e Hierarquização

Para que os serviços funcionem melhor os serviços o SUS organiza os serviços a nível crescente de complexidade, levando em conta através de pesquisas epidemiológicas as diversas regiões geográficas. A regionalização funciona quando você é atendido pelo hospital X, e não pelo hospital Y. Isso porque o hospital X é o que atende as pessoas da sua região.

Já a hierarquização é a divisão dos níveis de atenção afim de garantir o acesso ao serviço em todas as complexidades;

Descentralização

Esse princípio tem como base a responsabilidade entre o nível municipal, estadual e federal. Isso porque dificilmente o nível municipal vai saber quais são as necessidades de saúde do seu bairro, por exemplo. Então, o poder municipal vai cuidar de todas as ações de saúde do seu bairro, o poder estadual vai cuidar dos hospitais, e o poder federal de políticas públicas, além do repasse de verba para o estado, e o estado para o município;

Participação popular

Pouca gente sabe mas o SUS permite que a sociedade participe de suas ações no dia – a dia. Para que isso aconteça é necessário que se criem Conselhos e as Conferências de Saúde, para formular estratégias, controlar e avaliar a execução das políticas públicas de saúde.

Estrutura do SUS

Por atender em todo país o SUS é formado por vários órgãos das esferas municipal, estadual e federal, esses órgãos tem funções diferentes para garantir que o sistema funcione.

  • Ministério da Saúde;
  • Secretária Estadual de Saúde;
  • Secretária Municipal de Saúde;
  • Conselhos de Saúde;
  • Comissão Intergestores Tripartite;
  • Comissão Intergestores Bipartite;
  • Conselho Nacional de Secretário da Saúde;
  • Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde.

É muito importante conhecer melhor sobre o Sistema de saúde vigente em nosso país, até para que se possa saber onde cobrar quando as coisas não funcionam de forma correta. Esperamos que esse artigo tenha esclarecido melhor sobre o funcionamento do SUS pra você.

E se você gostou do artigo de hoje continue em nossa página pra conferir mais artigos.

Referências Bibliográficas:
http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2013/agosto/28/cartilha-entendendo-o-sus-2007.pdf

 

 

 

 

 

 

Os Hospitais Universitários são os principais responsáveis pela realização de cirurgias plásticas gratuitas a população. Esse recurso é o resultado da ação do Governo Federal para proporcionar esse tipo de procedimento à população que não possui recurso para realizá-lo.

São inúmeros hospitais que oferecem a realização da cirurgia plástica reparadora em todo o país. Assim, com o intuito de facilitar o seu acesso à informação, ao longo deste post você poderá encontrar uma seleção das principais instituições que realizam o procedimento. Confira:

1 – Hospitais Universitários: HC/UFMG

Um dos principais hospitais universitários que realiza a cirurgia plástica gratuita pelo SUS, é o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC – UFMG). A instituição conta com uma equipe de médicos especializados nas mais variadas áreas de cirurgias reparadoras.

Atende atualmente, pacientes localizados na grande Belo Horizonte, como também de outras cidades do interior mineiro e até de estados vizinhos. Para ter acesso ao procedimento cirúrgico é necessário possuir o encaminhamento pelo SUS.

2 – Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora/EBSERH (HU – UFJF/EBSERH)

O HU-UFJF/EBSERH é referência na realização de cirurgias plásticas reparadoras pelo SUS, dispõe de uma equipe especializada composta por professores e médicos da universidade. Os principais procedimentos realizados pelo setor são:

  • Cirurgia de otoplastia – Correção cirúrgica de orelhas de abano;
  • Cirurgia de ginecomastia – Procedimento de retirada de mama masculina;
  • Cirurgia de abdominoplastia;
  • Correção de pálpebras;
  • Retirada de lesões de pele;
  • Correção de sequelas de queimaduras.

Para realizar a cirurgia plástica gratuita nesse hospital universitário é obrigatório que o paciente tenha encaminhamento de alguma instituição do SUS.

3 – Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA)

O HUPAA-UFAL/EBSERH é conhecido no estado de Alagoas pelo seu Programa de Cirurgia Bariátrica, no qual os pacientes são acompanhados por uma equipe multidisciplinar altamente especializada para a realização desse procedimento.

A equipe de profissionais responsável por esse programa é composta por:

  • Médicos cirurgiões;
  • Cardiologistas;
  • Psicólogos;
  • Assistentes sociais;
  • Nutrólogos;
  • Nutricionistas.

Esse programa existe desde 2002 e é o responsável por mais de 450 cirurgias realizadas em pacientes com obesidade. Além disso, ainda conta com mais de 120 pacientes em sua lista de espera.

4 – Hospital das Clínicas de Porto Alegre

Apesar de atuar em diferentes áreas da cirurgia plástica, o Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital das Clínicas de Porto Alegre, credenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, pelo Ministério da Educação e pela Associação Brasileira de Cirurgia Craniomaxilofacial atua em apenas duas grandes áreas, são elas:

Cirurgia reconstrutiva, na qual são realizadas cirurgias plásticas reconstrutivas gratuitas para os casos de:

  • Sequelas de traumas;
  • Queimaduras;
  • Reconstrução mamária;
  • Cirurgias de tumores cutâneos;
  • Reconstrução osteomuscular e cutânea.

Cirurgias craniomaxilofacial, que envolvem a realização de procedimentos cirúrgicos nos seguintes casos:

  • Anomalias congênitas;
  • Traumatismos faciais;
  • Reconstrução de cabeça e pescoço;
  • Anomalias do desenvolvimento.

Para a realização das cirurgias plásticas, o hospital conta com uma equipe de altíssima qualidade composta por médicos residentes, técnicos de enfermagem e profissionais da área administrativa.

5 –  Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás HC – UFG

O Hospital das Clínicas da UFG é um dos mais referenciados hospitais universitários da região Centro-Oeste, no que se refere a realização de cirurgia plástica gratuita de alto nível de complexidade, tais como:

  • Cirurgia de reconstrução de mandíbula
  • Cirurgia de reconstrução mamária
  • Cirurgia de reconstrução da parede abdominal

Isso se deve ao fato do hospital possuir um centro cirúrgico altamente equipado e de uma equipe multidisciplinar completa, composta por: cirurgiões plásticos, anestesiologistas, enfermeiros, fonoaudiólogos, nutricionistas e psicólogos.

Para a realização da cirurgia plástica gratuita na instituição, é indispensável iniciar os procedimentos de autorização em uma instituição de saúde credenciada pelo SUS.

Ao longo do post você pode conhecer quais são os 5 principais hospitais universitários do país, que realizam a cirurgia plástica gratuita através do SUS.

Todas essas instituições de saúde contam com uma equipe de profissionais altamente especializados e capacitados nos mais complexos procedimentos cirúrgicos. Além disso, possuem uma infraestrutura moderna, apta para realizar com total segurança e eficiência as cirurgias plásticas.

Referências Bibliográficas
https://www.hcpa.ufrgs.br/assistencia-servicos-medicos-cirurgia-plastica
http://www.alagoas24horas.com.br/1156900/conheca-o-programa-de-cirurgia-bariatrica-hospital-universitario/
http://www.ebserh.gov.br/web/hu-ufjf/noticia-destaque/-/asset_publisher/fhekigwzDbMK/content/id/3086136/2018-05-hu-ufjf-zera-fila-de-espera-para-a-realizacao-de-cirurgias-plasticas
http://www.ebserh.gov.br/web/hc-ufmg/fale-conosco

Muita se fala sobre o programa mais médicos que nasceu por uma iniciativa do Sistema Único de Saúde (SUS), mas você sabe do que esse programa se trata?

O que é o programa mais médicos?

O Programa Mais Médicos (PMM) nasceu de uma iniciativa do governo federal, através do apoio estadual e municipal, com o objetivo de melhorar o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Além do programa aumentar o número de médicos para regiões onde há escassez ou ausência de profissionais, o programa aposta na ampliação das Unidades Básicas de Saúde (UBS), as UBS atuam na promoção, prevenção, além de realizar atendimentos clínicos aos usuários.

O programa também tem como objetivo de atuar com novas vagas de graduação e residência médica para também qualificar e contribuir para a formação dos profissionais.

O programa nasceu em 2013 com foco em um melhor atendimento as regiões carenciadas de serviço de saúde.

Quem pode participar do programa mais médicos?

Pode participar do programa mais médicos os profissionais graduados em medicina brasileiros e estrangeiros. Esses médicos vão atuar nas áreas com maior necessidade, visando levar a qualidade e a humanização aos pacientes, garantindo assim, o acesso de todos a uma saúde digna, segundo as diretrizes do SUS.

O programa mais médicos atua em três eixos principais

Eixo 1 – Provimento Emergencial

Como já citamos anteriormente o programa nasceu com o objetivo de aumentar o número de médicos nas regiões mais carentes como a população rural, indígena e periférica, porque em muitas regiões do Brasil há muitos médicos por habitante, mas esses mesmos médicos não chegam em locais rurais, periféricos ou indígenas como acima citado.

O provimento emergencial é o primeiro e grande eixo do programa, já que a partir dele o SUS conseguiu atender 4.058 municípios, cobrindo 73% das cidades brasileiras, garantindo então o atendimento de aproximadamente 63 milhões de pessoas, que antes tinham dificuldade para conseguir um atendimento médico de qualidade.

Eixo 2 – Educação

O programa visou também mudar a formação médica do Brasil. E justamente por esse eixo o programa vai garantir que todas essas regiões continuem sendo atendidas por profissionais qualificados, e que não falte mais profissionais em nas áreas criticas do país.

O intuito é formar médicos e especialistas, a meta do Governo Federal é criar 11,5 mil vagas para a graduação, e 12,4 mil vagas para a residência nos próximos anos. Para já mais de 6 mil vagas de graduação e residência foram autorizadas. Esses dados numéricos foram tirados do site oficial do programa.

Eixo 3 – Infraestrutura

O terceiro eixo do programa visa a infraestrutura, já que tem como objetivo melhorar a qualidade da atenção básica no país, para isso é investido bilhões de reais todos os anos no projeto, para que os municípios executem a construção de novas unidades, e a reforma das unidades que são necessárias para que a qualidade do atendimento seja garantida.

A importância do programa nos hospitais do Brasil

 A atuação do programa não é em hospitais, os médicos ficam especial na unidade de atenção básica a saúde, mas isso ajuda todo o sistema de saúde, incluindo os hospitais, sabe por que?

A unidade básica de saúde é a porta de entrada para o SUS, a UBS está presente em todos os municípios e hoje está próxima de todas as comunidades.

A UBS vai detectar e tratar inúmeros problemas de saúde, além de trabalhar as formas de prevenção para que algumas doenças sejam evitadas. Estima – se que 80% dos problemas de saúde possam ser resolvidos nas unidades básicas de saúde.

Mas antes do programa mais médicos muitas UBS não existiam, ou se existiam não tinham a quantidade de médicos suficientes, isso tinha consequência em duas coisas: a super lotação dos hospitais por falta de atendimento das UBS, ou o agravamento de doenças que podiam ser tratadas anteriormente pela UBS.

Com a criação dos programas os hospitais podem dar mais atenção para os casos que só podem ser especificamente tratados em hospitais, além de diminuir o número de casos.

O programa mais médicos não está em um hospital específico, visto que sua atuação é na UBS.

Mas o programa pode ser encontrado em todos os estados brasileiros, quando os municípios tiveram uma quantidade de médicos abaixo do esperado, principalmente os rurais, indígenas e periféricos.

Se você gostou desse artigo continue em nossa página e confira muito mais.

Referência Bibliográficas:
http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2013/setembro/27/2013-08-21-informe-mais-medicos.pdf

 

 

 

Se engana quem pensa que a dermatologia é uma especialidade médica que cuida somente da estética da pele, a especialidade é responsável por cuidar e tratar de diversas doenças da pele, além de realizar cirurgias.

O Brasil possui vários ambulatórios certificados pela Associação Brasileira de Dermatologia, confira alguns deles.

Departamento de Dermatologia da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP ( São Paulo, SP)

O departamento de dermatologia da UNIFESP associado a Escola Paulista de Medicina possui reconhecimento pela Associação Brasileira de Dermatologia (SBD) como oficialmente apta a prestar serviços dermatológicos para a população em geral.

O departamento possui consultas clínicas, exames, e tratamento de várias doenças, incluindo o câncer de pele. O atendimento para a população é totalmente gratuito, e o agendamento deve ser feita pela Unidade Básica de Saúde do seu município.

O ambulatório funciona de segunda a sexta feira, das 9 até as 15 horas. E está localizado no bairro da Vila Clementino.

Departamento de Dermatologia do Hospital Das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP (São Paulo, SP)

Aqui está outro departamento que é referência em todo o país quando o assunto é dermatologia, além de possuir uma das residências médicas mais estruturadas na área o ambulatório da USP é reconhecido pela SBD.

Além das consultas de rotina, a maior atuação do departamento são doenças como lepra, impetigo, demartomicoses, herpes simples, psoríase, eczema, dermatite seborreica, urticária, acne, alopécia, paroníquia e vitiligo. Já deu pra entender porque o ambulatório é referência, né?

O ambulatório também se destaca por possuir uma equipe multi profissional para tratar de seus pacientes, além de contar com laboratórios especializados para os exames de pele.

Os atendimentos são feitos de forma gratuita através do SUS.

O ambulatório fica localizado no bairro de Cerqueira Cesar em São Paulo.

Hospital Universitário Clementino Fraga Filho – HUCFF (Rio de Janeiro, RJ)

O ambulatório de dermatologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) encontra –se dentro do hospital universitário Clementino Fraga Filho. Também é reconhecido pela SBD no ensino, pesquisa e atendimento ao público através do SUS.

O departamento atende em: dermatologia geral, cirurgia dermatológica, cosmética dermatológica (para casos de necessidades), imunodepressão, dermatologia genital, dermatologia oral, dermatologia pediátrica, dermatoscopia, fotodermatologia e hanseníase.

Para as consultas também é necessário que o paciente passe pela UBS, e a mesma realize a marcação. Que ocorrem toda quarta feira (exceto a última do mês).

O ambulatório conta com residentes, além dos mestrandos, doutorandos e especializandos. São realizadas também cirurgias para os casos que precisem.

O ambulatório se localiza na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro.

Departamento de dermatologia da Santa Casa de Curitiba (Curitiba, PR)

O departamento de dermatologia da Santa Casa de Curitiba iniciou suas atividades em 1959, sendo então um dos pioneiros na área. Com o passar dos anos, pelo seu excelente serviço o departamento ganhou o reconhecimento da SBD, tanto pelos serviços prestados, quanto pela sua formação aos residentes e aos especializandos.

Além do serviço ambulatorial o departamento conta com cirurgias dermatológicas e dermatopediatra. Além do serviço de oncologia para os casos de câncer de pele.

O hospital é filantrópico e atende alguns convênios de saúde ou realiza consultas particulares, mas também possui convênios com alguns hospitais do SUS, como o Hospital Pequeno Príncipe e o Hospital Erasto Gaetner.

O ambulatório funciona de segunda a sexta feira das 8:00 até as 16 horas, e está localizado no Centro da cidade.

Centro de Dermatologia Dona Libânia – CDERM (Fortaleza, CE)

O centro de dermatologia Dona Libânia e uma unidade da Secretária do Estado, sendo referência no Ceará para o tratamento de doenças dermatológicas e referência no país todo para o tratamento de hanseníase.

Além dos consultórios o serviço conta com laboratórios dos mais variados tipos para a realização de todos os exames necessários, e sala para curativo e pequenas cirurgias.

O atendimento é realizado através do SUS, de segunda a sexta feira, das 7:30 até as 16 horas, o ambulatório é localizado no centro de Fortaleza.

Deu pra perceber que a especialidade trata muito mais do que é estética e é muito importante ter boas referências em nosso país, e como pudemos observar a grande maioria dos ambulatórios de referência na área oferecem tratamentos pelo SUS, facilitando ainda mais para que seja acessível a população.

Referências Bibliográficas:
http://www.sbd.org.br/
http://www2.unifesp.br/dderma/
http://www.dermatousp.com.br/
http://www.hucff.ufrj.br/dermatologia
http://santacasacuritiba.com.br/especialidades-e-equipe-medica/dermatologia/
http://www.cderm.ce.gov.br/

 

Conhecer quais são os melhores hospitais do interior de São Paulo é algo crucial para quem está em busca de um tratamento de alta qualidade, mas não quer se deslocar até a capital do Estado.

Felizmente, a rede pública de saúde conta com alguns dos melhores hospitais do país localizados no interior do Estado. E com o intuito de facilitar o seu acesso a esse tipo de informações, logo abaixo você poderá encontrar uma lista destas instituições. Confira: 

Hospitais do interior de São Paulo: Hospital do Câncer de Barretos

Um dos melhores hospitais do interior de São Paulo é o Hospital de Câncer de Barretos, atualmente conhecido como Hospital de Amor, com sede na cidade de Barretos em São Paulo.

É uma instituição de saúde reconhecida pela sua excelência a nível nacional e internacional, no tratamento e prevenção de câncer, assim como pelos elevados padrões de humanização e qualidade do atendimento.

Hospital Estadual de Ribeirão Preto

O Hospital Estadual de Ribeirão Preto é uma instituição localizada na cidade de Ribeirão Preto em São Paulo. Desde 2010, tem se destacado entre os hospitais do estado, pela qualidade do atendimento e assistência prestada aos seus pacientes.

Atualmente o hospital conta com uma ampla e moderna infraestrutura, onde são prestados serviços de saúde nas especialidades:

  • Setor de enfermaria: Clínica Médica e Cirúrgica
  • Setor ambulatorial: Cirurgia Geral, Gastrocirurgia, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Vascular, Proctologia, Odontologia, Oftalmologia (Clínica/Cirúrgica/Retina), Cirurgia da Mão, Otorrinolaringologia e Urologia
  • Exames – SADT Externo: Nasofibroscopia, Endoscopia, Colonoscopia, Ultrassonografia e Ecocardiografia.

Hospital Estadual João Paulo II

Essa instituição foi considerada um dos melhores hospitais do interior de São Paulo de acordo com pesquisas. Localizado em São José do Rio Preto, São Paulo, ele é classificado como de baixa e média complexidade. A sua maior demanda é dos pacientes encaminhados por outras instituições de saúde.

Ele é uma referência na região e atende a cerca de 101 municípios, sendo um universo de aproximadamente 1,5 milhão de pessoas. Ele ainda possui excelência no quesito infraestrutura e em programas de humanização de atendimento.

Sociedade Brasileira de Pesquisa e Assistência para Reabilitação Craniofacial – Sobrapar

O Hospital Sobrapar, localizado em Campinas – SP, foi considerado uma das melhores instituições de saúde do Estado segundo pesquisa realizada junto aos usuários do SUS. Ele se destaca pelo alto nível dos profissionais que compõem a equipe técnica e a sua excelência no atendimento.

Os seus serviços são focados na reabilitação de pacientes que apresentam deformidades craniofaciais congênitas ou adquiridas e demais condições que provocaram sua atual situação de saúde.

Hospital Pio XII de São José dos Campos

O Hospital Pio XII de São José dos Campos, é uma instituição de saúde administrada pela Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada. O hospital é referência em toda a região do Vale do Paraíba pela realização de procedimentos de alta complexidade, nas seguintes especialidades:

  • Cirurgia Cardíaca
  • Neurocirúrgica
  • Cirurgia Bariátrica (obesidade)
  • Cirurgia Oncológica
  • Oncologia Clínica
  • Terapia Intensiva
  • Onco-hematologia
  • Transplante Autólogo de Medula Óssea.

O hospital também se destaca pela excelência do atendimento humanizado e da sua equipe técnica, composta pelos melhores especialistas de cada área. Atende todos os pacientes encaminhados pela rede do SUS da região, além daqueles conveniados e particulares.

Hospital Estadual de Bauru

O Hospital Estadual de Bauru é considerado um dos melhores hospitais do interior de São Paulo. Ele é uma referência em uma região de aproximadamente 1,8 milhão de habitantes e possui serviços ambulatorial, hospitalar e ainda realiza diversos exames.

É importante destacar que os serviços dessa instituição são voltados apenas para os usuários do SUS, pois o hospital não é conveniado a nenhum tipo de plano de saúde. Ele ainda possui uma excelência quanto a assistência e o atendimento realizado.

Os melhores hospitais do interior de São Paulo contam com uma tecnologia de ponta e são referência na assistência e atendimento de qualidade a todos os seus pacientes.

Assim, se você necessitar de um serviço de saúde de alta qualidade no interior de São Paulo opte por um desses hospitais, que em sua maioria atendem pela rede SUS.

Referências Bibliográficas 
http://www.hpioxii.org.br/novo_site/quem-somos/
http://www.sobrapar.org.br/
http://www.heb.famesp.org.br/institucional.php?mnu=3
https://site.hcrp.usp.br/hospital-estadual-de-ribeirao-preto-heribeirao/
https://www.hcancerbarretos.com.br/
http://www.franciscanosnaprovidencia.org.br/associacao/nossasobras_detalhes/26/Hospital-Estadual-Jo%C3%A3o-Paulo-2%C2%BA

Para pessoas que sofreram algum acidente grave, ou tiveram algum tipo  de doença que afetou de uma forma muito grave o sistema nervoso, voltar a ter uma vida normal pode ser de fato algo muito complicado. Dependendo do tipo de acidente que a pessoa sofreu, muitas delas não conseguem mais voltar a ter a mesma vida que elas tinha antes de passar por essa terrível tragédia.

Mas, graças a evolução da ciência, muitas áreas da medicina estão crescendo e aprendendo cada vez mais sobre como resolver esses problemas que são causados por acidentes por exemplo, não intenção de fazer com que essas pessoas possam voltar a ter uma vida comum assim como a sua.

Seguindo essa linha de pensamento, nasceu a ciência da fisioterapia. Uma área da medicina moderna que tem ajuda muitas pessoas a conseguirem recuperar suas vidas.

O que é a Fisioterapia hospitalar?

Para quem não sabe, a fisioterapia hospitalar, é um segmento da fisioterapia que atua fortemente para ajudar os pacientes que estão instalados nas áreas hospitalares a iniciarem o seu tratamento para otimizar o processo de recuperação.

Um ponto crucial com relação a Fisioterapia hospitalar, é que ela atua diretamente no atendimento de pacientes que estão internados nas enfermarias para garantir que esses pacientes não venham a ter complicações respiratórias, neurológicas ou motoras.

Principais objetivos da fisioterapia hospitalar

É um assunto muito complicado esse. É necessário fazer um avaliação muito cuidadosa para que a fisioterapia possa ser traçada de uma forma mais assertiva na intenção de trazer condições motoras e neurológicas melhores para os pacientes. Mas, de uma forma geral para o compreendimento de todos vocês, a fisioterapia tem como principais objetivos:

Objetivos gerais

Em suma, os objetivos gerais são basicamente fazer o possível para prevenir as famosas complicações respiratórias ou motoras que podem surgir durante o período que o paciente segue internado no hospital.

Essa prática é muito importante nas áreas dos hospitais brasileiros, e com certeza cumpri com aquilo que ela promete fazer.

Objetivos um pouco mais específicos:

  • Cuidar de hipertrofias musculares;
  • Prevenir contraturas e deformidades que podem aparecer durante o período que o paciente segue internado no hospital;
  • Cuidar de linfedemas;
  • Conforme foi mencionado anteriormente, ajudar no tratamento para prevenir complicações respiratórias;
  • Ajuda durante o processo de controle da dor;
  • A síndrome do imobilismo é uma realidade que pode ser prevenida através da fisioterapia hospitalar;
  • Acelerar o processo de alta para que não tenha riscos de infecções hospitalares.

Protocolo de atendimento da fisioterapia hospitalar

Se tratando da fisioterapia hospitalar, cada hospital contém o seu protocolo específico na intenção de oferecer o melhor serviço possível através da sua metodologia exemplar. Mas, em tese, todos os hospitais possuem o mesmo objetivo quando e trata de fisioterapia hospitalar: prevenir os problemas que podem haver durante o período em que o paciente se encontra internado, como por exemplo, problemas respiratórios e perda dos movimentos.

É necessário que seja feita uma avaliação bastante minuciosa, por que o protocolo de atendimento da fisioterapia hospitalar ele também varia bastante de acordo com a doença do paciente em questão. Normalmente, os hospitais possuem alguns protocolos específicos, como por exemplo: pós-cirúrgico, insuficiência cardíaca, ortopédicos, entre outro que varia de acordo com a doença do paciente e a área do hospital que ele se encontra internado.

Avaliação feita de forma correta

Os métodos de avaliação do paciente são de fato muito específicos e dependem bastante do tipo de doença que ele apresenta. Portanto, é sempre importante ter um profissional da área de fisioterapia para que ele possa prestar um serviço de avalição muito bem-feito.

E é a partir dessa avalição, que você vai conseguir destinar o tratamento correto para o paciente, levando em consideração a doença e o quatro atual que a doença dele apresenta, assim, você vai conseguir fazer o possível para melhorar  serviço que é prestado aos pacientes que passam pela fisioterapia.

Essas eram as dicas e as informações que eu tinha para passar há você com relação a fisioterapia. É um assunto bastante complexo, e de fato, seria muito difícil passar para você muita informação com relação a essa área da medicina em apenas um artigo.

Mas, eu espero que você tenha entendido um pouco ao menos sobre essa área da medicina que é tão importante para os pacientes que se encontram internados nas áreas hospitalares.

Cardiologia é a especialidade médica que realiza o diagnóstico e o tratamento das doenças do coração. Uma especialidade de extrema importância para nossa saúde, onde todos devemos passar nem que seja para um check – up de rotina.

Mas você sabe quais são os melhores hospitais dessa especialidade no Brasil?

Então confira o nosso artigo de hoje.

 Hospital do Coração (São Paulo, SP)

O HCor é sem dúvida algum conhecido pela excelência na qualidade dos seus serviços em cardiologia, além da sua infra – estrutura, e suas pesquisas que foram inovadoras para a área.

O HCor está presente em todos os sentidos da cardiologia, seja na prevenção, no tratamento, na reabilitação, na cirurgia cardíaca ou em um check – up. O hospital também oferece internações e cirurgia de alta complexidade, tudo com tecnologia e infra – estrutura com o melhor que o mercado da saúde pode oferecer.

Além dos médicos especializados o hospital conta com uma equipe multidisciplinar pronta para atender todas as necessidades do paciente.

O hospital tem alguns projetos juntamente com o Sistema Único de Saúde (SUS), mas também atende de forma particular e de convênios médicos.

Alguns convênios atendidos pelo hospital são: Allianz, Amil, Bradesco, Camed, Care Plus, Gama Saúde, Metrus, entre outros.

O hospital fica localizado no bairro do Paraíso.

Instituto do Coração – InCor – HCFMUSP

 O InCor faz parte de um hospital público universitário de alta complexidade, conhecido pela excelência dos seus serviços, e por atender pessoas do país inteiro.

No InCor essa qualidade também pode ser vista, através da infra – estrutura e da tecnologia voltada para a cardiologia. O InCor atualmente é o maior centro de ciência em cardiologia da América Latina, além de trabalhar constantemente  na formação dos seus alunos, 11 maiores cardiologistas do século foram formados pelo instituto do coração.

Mas também não é pra menos, o hospital possui dois prédios, um com 11 e outro com 17 andares, 535 leitos divididos também com as unidades de terapia intensiva, 14 salas de cirurgia, 7 salas de hemodinâmica, 12 salas de diagnóstico como ressonâncias e tomografias, 60 consultórios médicos. E uma equipe multi – profissional disponível para atender a todas demandas do paciente. Seja ele criança, adulto, ou idoso.

Isso mesmo, o InCor começa a atender até recém – nascido que possui algum problema cardiológico. Aproximadamente 80% dos atendimentos são realizados através do Sistema Único de Saúde (SUS).

O InCor localiza-se na Haddock Lobo em São Paulo.

Hospital Moinho de Vento (Porto Alegre, RS)

O hospital localizado na capital gaúcha já recebeu diversos prêmios devido a qualidade dos serviços prestados, e por seu sistema de gestão.

Com parceira com o Ministério da Saúde o hospital pretende abrir uma unidade para atender a população carente de Porto Alegre, através do Sistema Único de Saúde (SUS).

O hospital possui diversas especialidades, mas o destaque da cardiologia é nítido. Isso pela tecnologia e infra – estrutura que o hospital possui para serviços cardiológicos que atuam no diagnóstico e no tratamento de diversas doenças, além do serviço ambulatorial.

Além disso o hospital também disponibiliza uma equipe multiprofissional voltada para a melhoria da qualidade de vida do paciente, dando suporte em todas as fases do processo.

O hospital é privado, e atende planos de saúde como: Allianz, AMA, Amil, Bradesco, Bupa International, Cassi, Care Plus, Embratel, entre outros.

O hospital Moinho de Vento possui duas unidades, uma localizada no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre. E outro no Shopping Iguatemi, também de Porto Alegre.

 Hospital Copa D’or (Rio de Janeiro, RJ)

 O hospital Copa D’or é recente, historicamente falando, o hospital nasceu em 2010, mas nem por isso deixa de ter um modelo hospitalar de excelência quando se trata de cardiologia.

O hospital reuni uma tecnologia de ponta, juntamente com uma infra – estrutura boa, e profissionais de qualidade, isso fez com que seu padrão chegasse em 5 estrelas, e virasse uma hospital de referência em cardiologia não só no Rio de Janeiro, como no Brasil. Prova disso é o prêmio internacional JCI que o hospital conquistou.

O hospital atua no diagnóstico e tratamento de doenças cardiológicas, assim tendo em seus serviços consultas, exames e cirurgias de média e alta complexidade na área.

O hospital é privado, e atende alguns convênios de saúde como Amil, Bradesco, Hospitaú, Gama, Notre Dame, Sul América, Porto Seguro, entre outros.

O hospital fica localizado no bairro de Copacabana.

Cuidar do nosso coração é muito importante, então quando precisar de qualquer serviço de saúde relacionada a cardiologia você já sabe quais hospitais são referências na área no Brasil.

E não deixe de continuar em nosso site para conferir as novidades.

Referências:
http://www.hcor.com.br/
http://www.incor.usp.br/
http://www.hospitalmoinhos.org.br/
http://www.copador.com.br

 

 

 

 

Quem nunca precisou fazer uso de um pronto-socorro na vida, né? Seja por situações de fácil resolução ou situações mais graves os prontos atendimentos já esteve presente em nossas vidas em um momento ou em outro. Pensando nisso trouxemos no artigo de hoje os prontos-socorros mais bem preparados do Brasil, afinal é sempre bom saber e repassar essas informações, confira.

Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), Rio de Janeiro

O hospital São Vicente de Paulo já ganhou prêmios no Brasil e na América Latina pela excelência em seus serviços. Com o pronto atendimento não é diferente. A infraestrutura que o hospital possui é admirável, além da agilidade sem perder a qualidade dos serviços.

O pronto atendimento do hospital funciona 24 horas por dia, durante todos os dias da semana. Atendem pacientes acima de 12 anos, sendo convênio e particular.
O pronto atendimento se divide em clínica geral, ou ortopedia e traumatologia, contado com salas cirúrgicas e unidades de terapia intensiva se for necessário.

O hospital é privado e atende alguns planos de saúde como Care Plus, Cassei, BCM, Bradesco, Sul América, Gama, entre outros.

O hospital possui sua unidade de pronto atendimento no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Hospital Regional de Cotia – HRC (Cotia, São Paulo)

O Hospital Regional de Cotia tornou-se referência por cumprir todos os requisitos presentes na politica do SUS. É reconhecido como um hospital de excelência colecionando vários prêmios.

Quanto ao pronto atendimento está disponível 24 horas para adultos e crianças, com diversas especialidades, leitos de internação, e máquinas modernas para exames diagnósticos. Conta com cerca de 1.000 funcionários para atender a população com qualidade e de forma ágil.

Os pacientes que chegam ao hospital de ambulância vão direto para o pronto atendimento. Os pacientes que chegam por conta passam por uma triagem avaliando a situação de risco para determinar o tempo máximo de atendimento.

O hospital é público oferecendo atendimento de forma gratuita para a população.

Hospital Meridional (Cariacica – ES)

O hospital Meridional é bem conhecido pela excelência no serviço de neurologia prestado, mas não é só nessa área que o hospital vem ganhando destaque.

Seu pronto-socorro conta com toda infra estrutura necessária, e uma equipe altamente preparada para atender pacientes em emergências e urgências.
O pronto-socorro se divide em Clínica Geral, Cirurgia Geral, Ortopedia, Pediatria e Neurologia.

O hospital também trabalha com a classificação de risco.

O hospital é privado e atende alguns planos de saúde como: Amil, Cassi, Bradesco, Embratel, Cesan, Unimed, Sul América, entre outros.

O hospital possui sua unidade em Alto Lage, Cariacica, Espírito Santo.

Hospital Santa Paula (São Paulo, SP)

O Hospital Santa Paula é uma grande conhecido pela qualidade de seus serviços para a população. Seu pronto-socorro funciona durante 24 horas, com uma equipe completa para atender todas as necessidades do paciente. Além disso conta com um laboratório que trabalha em escalas de urgência para os exames ficarem prontos rapidamente.

O hospital também conta com uma equipe de plantão a distância. O pronto atendimento se divide em geral e neurológico.

O hospital realiza atendimentos particulares ou com convênios associados como, Amil, Dix, Itau e One.

Seu pronto atendimento fica localizado no bairro da Vila Olímpia em São Paulo.

Hospital Alemão Oswaldo Cruz (São Paulo, SP)

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz é outro grande conhecido pela qualidade dos seus serviços, pela infraestrutura e tecnologia que possui. Na área de pronto atendimento contam com uma equipe multiprofissional 24 horas por dia, todos os dias do ano. Eles prezam a agilidade, e a segurança e seus atendimentos de emergência.

Contam com 4 leitos de emergência, e 14 boxes para urgência se for necessário.

O hospital possui pronto atendimento de clínica médica e de ortopedia. Entrando no site você consegue ver em tempo real o tempo de espera para ser atendido.

Além disso é um dos poucos hospitais que possuem um pronto atendimento oncológico para os seus pacientes.

O hospital é privado e atende planos de saúde como: Allianz, Amil, Amico, Care Plus, Gama, Notre Dame, Medial, Mapfre, Porto Seguro, entre outros. A unidade de pronto atendimento do hospital se localiza na unidade Paulista do hospital.

E você já sabia que esses hospitais eram tão bons nos atendimentos de emergência? Se você gostou do tema não deixe de continuar em nossa site e conferir outros artigos.

Para entendermos melhor o que significa a Medicina Integrativa, é preciso que voltemos um pouco no tempo.

A evolução da medicina pode ser descrita em fases bastante distintas. Nos primórdios, o conceito baseava-se numa visão Mágico-religiosa da saúde, a qual era obtida por meio dos serviços de um xamã.

Por volta de 3.000 a.C., surge o conceito de medicina Empírico-racional, segundo a qual a cura para as doenças viriam do equilíbrio entre os humores corporais.

Sob a influência de Renê Descartes (já no séc. XVI), o pensamento era o de que a cura para as doenças poderia ser “facilmente” obtida pelo simples ajuste da chamada “engrenagem humana”, que não dependeria de nenhum fator externo e, muito menos, subjetivo.

Mas foi com o surgimento da Biomédica (no Brasil em 1966) que um conceito novo de medicina foi implementado. Segundo ele, o fundamental era investigar os micro-organismos patológicos, por meio de uma anamnese e de exames, a fim de que se pudesse descobrir drogas capazes de inibir e combater as suas influências perniciosas no organismo.

No entanto, com a chegada do ano 2000, um movimento passou a investigar a possibilidade de se “integrar” as diversas especialidades médicas (inclusive a medicina alternativa), para que, juntamente com a biomédica, passassem a fazer parte de uma nova possibilidade terapêutica, que incluiria técnicas homeopáticas, holísticas, transcendentais, espirituais, entre outras. Um dos primeiros hospitais a integrar este tipo de medicina foi o Hospital Israelita Albert Einstein.

E foi desse esforço que nasceu a chamada “Medicina Integrativa”.

Os fundamentos da Medicina Integrativa?

A MI pode também ser encarada como uma forma de enxergar o ser humano em toda a sua integralidade. Ou seja, em suas dimensões física, mental, espiritual, sexual, política, econômica, social. Enfim: leva em consideração tudo aquilo que, de alguma forma, possa resultar no desequilíbrio do ser.

Isso não significa, exatamente, o abandono da medicina convencional, mas apenas entender que, enquanto esta busca investigar as causas de uma patologia (e combatê-las), a MI costuma ter uma ação mais abrangente, o que pode significar, até mesmo, tentar impedir que essas causas aconteçam.

Por exemplo, ao invés de apenas descobrir a fonte de um estresse (medo, excesso de trabalho, problemas familiares, entre outras) e combatê-la com sugestões de mudança de hábitos e medicamentos, a Medicina Integrativa poderá, por exemplo, ir mais fundo.

Ela tentará identificar perfis profissionais, ambientes nos quais um indivíduo melhor se adapte, o grau de importância da religião em sua vida, entre várias outras formas de evitar que essas causas ocorram.

Trata-se de uma forma de unir várias especialidades e ramos da atividade humana, como: psicologia, clínica geral, psiquiatria, medicina alternativa, homeopatia, espiritualidade, além de várias outros, que possam, juntos, revelar a essência de um indivíduo e, por conseguinte, oferecer ferramentas que o ajudem a ser mais produtivo, útil, saudável e feliz.

Quais as características da Medicina Integrativa

  • Ajuda a evitar os transtornos dos efeitos colaterais. Técnicas como: acupuntura, Do-in, eletroacupuntura, entre outras técnicas de automassagens, podem ser recomendadas para o alívio dos efeitos colaterais de medicamentos, tratamentos para o câncer, radioterapia, entre outros procedimentos semelhantes;

  • Prescreve técnicas de relaxamento, como: meditação, respiração, auto hipnose; tudo isso com objetivo de combater o medo que antecede um procedimento cirúrgico ou preparar o indivíduo para o mesmo;

  • Ressalta a importância da relação de confiança entre médico e paciente, pois, mais do que alguém que apenas receita um medicamento, o profissional deve levar em consideração os desejos, medos e preferências do paciente com relação a um tratamento;

  • A nutrição é parte essencial de qualquer tratamento. Na Medicina Integrativa, ela ganha um status de protagonista no tratamento dos mais diversos distúrbios;

  • Nesse conceito, um plano de tratamento leva em consideração o gênero, idade, classe social, realidade racial, religiosa, cultural, econômica, entre outras variáveis;

  • Questões ambientais passam a fazer parte das preocupações dos profissionais de saúde. Estes serão, agora, agentes estimuladores de práticas sustentáveis, as quais, como se sabe, são iniciativas capazes de influenciar diretamente na saúde pública;

  • Todos os profissionais de saúde e todas as disciplinas são levadas em consideração durante a elaboração de um tratamento, já que uma doença pode ser o resultado de fatores emocionais, genéticos, espirituais, econômicos, sexuais, geriátricos, nutricionais, orgânicos, entre outros.

A Medicina Integrativa enxerga a totalidade dos indivíduos e dos seres como um sistema, onde o meu comportamento pode ser fonte de estresse e doenças para o outro. Mas, qual a sua opinião sobre essa visão da medicina? Responda por meio de um comentário, logo abaixo. E continue acompanhando, divulgando, discutindo, questionando e compartilhando as nossas publicações.

Referências Bibliográficas:
http://www.fenag.org.br/images/apresentacao-enagecef.pdf
https://biomercadobrasil.com.br/medicina-integrativa-conheca/
http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n3/16.pdf
http://apps.einstein.br/revista/arquivos/PDF/1766-EC_V8_N3_pg148-50.pdf
http://www.oncoguia.org.br/conteudo/entrevista-voce-sabe-o-que-e-medicina-integrativa-/410/8/

Planos de Saúde com melhores preços?